100 toneladas de maconha: Operação da PF envolveu Bahia e Pernambuco

18/05/2012 16:26
Mais de 330 mil pés de maconha prontos para ser colhidos foram destruídos pela Polícia Federal (PF) em áreas da Bahia e do Sertão de Pernambuco na Operação Nero 2. Os resultados da ação foram apresentados nesta quarta-feira (16), no Recife.

Segundo estudo feito pelo Instituto Nacional de Criminalística (INC), a erradicação impediu a entrada de 100 toneladas da droga no mercado.

Três homens foram presos durante a operação. Segundo a PF, eles estavam semienterrados e escondidos pela vegetação e foram identificados através de um sobrevoo do helicóptero da SDS/PE, que conseguiu conter os homens na área, até a chegada de mais duas aeronaves e com o reforço de policiais do Núcleo de Operações Especiais da PRF.

Com eles, foram encontrados um revólver calibre 38 e uma pistola calibre 40, oriunda da Polícia Civil de Pernambuco, com numeração raspada. Todos foram indiciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Dois deles vão responder também por porte ilegal de arma de fogo e o terceiro responderá por crime ambiental, visto que estava com dois filhotes de papagaio. Eles foram encaminhados para o Presídio Regional de Salgueiro, no Sertão do estado.

A operação foi feita em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal e a Secretaria de Defesa Social. Ao todo, 15 inquéritos policiais foram instaurados na operação, que teve como área de atuação a calha do Rio São Francisco, o Sertão Central, Moxotó e Pajeú, em Pernambuco, além da Bahia, até Paulo Afonso. “Percebemos que essa região é onde estão os focos do plantio da maconha. Não há uma incidência significativa no Agreste”, explica o diretor regional de Combate ao Crime Organizado da PF, Nilson Antunes da Silva.

Um dos fatos que chamou a atenção da policia ao longo da ação, é a diminuição de pés que foram eliminados. “Vem decrescendo o número de pés erradicados, já chegamos a ter um milhão de pés erradicados em uma operação”, lembra Nilson. Ele atribui isso à frequência das operações – ocorrem de três a cinco por ano. “Quando impedimos a droga de chegar, também diminuímos o número de crimes”, afirma o capitão Alison Bandeira do Grupamento Tático Aéreo (GTA).

Segundo a PF, a maconha produzida, principalmente, na região de Orocó, no Sertão do estado, teria como destino o resto do Nordeste. Com a diminuição da oferta, a PF vem percebendo um aumento da apreensão da droga vindo do Paraguai. “Estamos fazendo ações também específicas para impedir essa entrada”, avisa Nilson Antunes da Silva.

 

Fonte: Chico Sabe Tudo

Deixe seu comentário

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário