Caminhoneiro é abordado por assaltantes enquanto dormia em posto de Euclides da Cunha-BA

13/07/2012 19:34

Depois, de viajar mais de 300 km, após carregar o caminhão Volkswagen, placa JRV 8806 - licença de Feira de Santana-BA, em Simões Filho, região metropolitana de Salvador, o motorista profissional José Lima Pinheiro, 47, parou em Euclides da Cunha para descansar em um posto de combustíveis e prosseguir, no dia seguinte, viagem para a cidade de Mossoró-RN, onde descarregaria um contêiner contendo material radioativo usado na extração de petróleo.

O produto radioativo está sendo transportado em caminhão de carroceria aberta, o que representa alto risco para o caminhoneiro, para as pessoas, para o meio-ambiente, em caso de acidente seguido de vazamento. O contêiner se quer está coberto por uma lona e, apenas, algumas placas sinalizadoras colocadas lateralmente na carroceria alerta para o tipo de carga que está sendo transportada.

No início da madrugada, por volta de duas horas, o caminhoneiro, que dormia na cabine do caminhão, acordou com uma violenta pancada no vidro lateral direito, que estilhaçou e, um homem tentou entrar pela janela, quando houve reação e o assaltante, de arma em punho, foi puxado para dentro da cabine.

A vítima chegou a tirar a arma da mão do bandido, porém não foi suficiente, pois havia mais um comparsa e o profissional do volante foi dominado.

De posse do caminhão, os bandidos obrigaram o motorista a seguir viagem em direção ao
Nordeste, para depois de percorrer cerca de 5 km, fazer o retorno e continuar a viagem no sentido contrário, deixando a Rodovia Santos Dumont, há cerca de 6 km da cidade, e adentrando por uma estrada vicinal que dá acesso ao lixão municipal.

Ao percorrer cerca de 100m, o caminhão foi parado e mais dois elementos se aproximaram. Amarrado nas mãos com um cordão plástico conhecido como “engasga gato”, José Lima nada pode fazer, a não ser ficar ouvindo o barulho dos pneus do caminhão, que eram novos, serem retirados, numa operação que durou cerca de uma hora, trabalho feito por algum profissional da borracharia, pois a mão de força utilizada é do mesmo tipo usado por profissionais.

Foram retirados os dez pneus e colocados em um caminhão Mercedes Benz, branco, que se encontrava estacionado à beira da rodovia, na proximidade da entrada para o lixão. O prejuízo foi calculado na ordem de R$ 20 mil, já que o furto dos pneus foi completo (pneu e roda). Os ladrões não se interessaram pelos dois pneus de socorro, pois não eram novos.

Temendo estar sendo vigiado, a vítima seguiu a orientação dos meliantes, que o ameaçaram de morte caso não permanecesse na cabine do caminhão. Mesmo machucado no pescoço e nos braços, consequência da luta inicial com o primeiro elemento a entrar no caminhão, José Lima conseguiu se desvencilhar do primeiro cordão e fez uso de um canivete para cortar o segundo engasga gato.

Por volta das 04h, mesmo temendo estar sendo vigiado, foi para a rodovia, onde pedia carona, porém, não era atendido, até que, por volta das 05h30, sinalizou para um caminhão que trafegava no sentido contrário e mostrou o caminhão escondido para o colega, que parou e, ao ouvir o relato do companheiro, o levou de volta para a cidade, onde foi apresentado à autoridade de plantão na DT (Delegacia Territorial), que fez o registro.

O veículo, ano de fabricação 2008, modelo 2009, pertence à empresa Martinho Transportes Ltda, sediada em Feira de Santana-BA, está equipado com um sistema de rastreamento via satélite, porém, parece que não estava em funcionamento, pois nenhum contato foi feito com a DT de Euclides da Cunha, alertando-a para o desvio de rota do caminhão, como já aconteceu em outras situações, inclusive com a localização do veículo pela polícia local, acionada pela empresa seguradora que cuida do rastreamento do bem.

O fato está sendo investigado pela equipe do Dr. Paulo Jason, delegado de polícia titular. Este, não é o primeiro caso de assalto com sequestro de caminhoneiro ocorrido na região, seguido de furto de todos os pneus do veículo.

O motorista do caminhão, ao ser perguntado pelo repórter José Dílson Pinheiro, do site euclidesdacunha.com, sobre o grau de radioatividade do produto que transportava, não soube responder.
 

 

 

 

Fonte: Euclides.com

Deixe seu comentário

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário