EM ENTREVISTA, GALO CEGO FALA SOBRE FALSAS ACUSAÇÕES CONTRA O MESMO

03/02/2015 06:08

 

O comerciante Uibison Macedo, popularmente conhecido como Galo Cego, concedeu entrevista ao site Portal Formosa e deu esclarecimentos sobre acusações recentes contra o mesmo.

Na manhã de quinta-feira (29) uma operação policial, com mais de 20 policiais e 6 viaturas, pegou a população do Povoado Formosa de surpresa. A operação foi realizada pelas Coordenadorias de Polícia Civill de Paulo Afonso e Euclides da Cunha, juntamente com a Cipe-Caatinga (Polícia Militar) que cumpriram Mandados de Busca e Apreensão expedidos pelo Dr Adriano Vieira de Almeida, juiz Substituto da Comarca de Chorrochó.

Foram autuados pelo Delegado de Polícia Civil, Ítalo Bruno, quatro pessoas, entre elas o comerciante Galo Cego. Clique aqui e reveja a matéria.

De acordo com uma denúncia, Galo Cego teria armas e drogas, além de pneus de caminhões roubados em seu comércio. A veracidade da denúncia não foi comprovada pela polícia, ou seja, não foi localizada nenhuma arma e nem drogas e todos os pneus encontrados em sua borracharia têm nota fiscal.

Em entrevista, o mesmo diz que sempre trabalhou duro e de forma correta para conseguir o que tem hoje e que a denúncia partiu de alguém que tem inveja, de quem não tem coragem de trabalhar.

 

Confira a entrevista abaixo:

Entrevistado: Uibison Macêdo da Silva (Galo Cego)

Local: Povoado Formosa, Macururé-BA

 

Portal Formosa (PF) – Quais foram as acusações feitas contra você?

Galo Cego - Fui acusado de ter armas de fogo, drogas e de ter em meu comércio (uma borracharia) pneus de caminhões roubados.

 

PF – As acusações são verdadeiras?

Galo Cego - Não, não tenho armas, não tenho drogas e os pneus que vendo são comprados de forma legal. Todos têm nota fiscal.

 

PF – Onde você compra os pneus?

Galo Cego – Compro em duas empresas legalizadas. Tenho licença para comprar e vender pneus novos e usados. Todos os pneus encontrados no dia da abordagem policial têm nota fiscal e foi comprovado pela polícia. Há mais de 8 anos que compro nessas empresas e, deixo claro também, que não compro pneus de terceiros. (veja as Notas Fiscais no fim da entrevista)

 

PF – Por que você acha que fizeram essa denúncia contra você?

Galo Cego - Deve ser inveja. Foi feita por quem não tem coragem de trabalhar como eu trabalho e não tem capacidade de ter o conhecimento que tenho.

 

PF – Você acha que o denunciante é de Formosa?

Galo Cego - Não posso julgar. Só peço que o denunciante deixe a vida de pessoas de bem em paz.

 

PF – Em relação aos seus bens matérias, como os adquiriu?

Galo Cego - Tem gente que diz que “subi de vida” muito rápido, mas tudo que tenho consegui em 11 anos de muito trabalho de baixo de sol e chuva. Também não sou rico, tenho apenas o suficiente para me manter.

 

PF – Há quanto tempo possui a borracharia?

Galo Cego - Há 11 anos

 

PF – Como foi a abordagem policial?

Galo Cego - Por volta das 05h30min fomos surpreendidos pela polícia já na parte interna da minha casa pedindo para abrir a porta para que eles pudessem entrar. Diziam que estavam com mandato de busca e apreensão. Minha casa foi revistada minuciosamente e nada foi encontrado. A borracharia e lanchonete também foram revistadas em busca de armas e drogas. Os pneus também foram verificados se havia algum sem nota, porém tudo estava de acordo com a lei. A única coisa que encontraram que me levou a ter que prestar esclarecimentos na delegacia foram dois rádios amadores desativados há mais de 2 anos. Infelizmente não tenho as notas deles e também não tenho licença da Anatel para utilizá-los, porém posso provar a origem dos mesmos e garanto também que quando os utilizava era apenas pra me comunicar com os muitos amigos caminhoneiros que tenho.

 

PF – Onde você conseguiu os rádios amadores e porque você os possuía?

Galo Cego – Comprei os rádios a mais de 8 anos a um amigo de boas procedências. Utilizava-os para me comunicar com meus cliente e amigos caminhoneiros.

 

PF – Como você se sente em relação ao ocorrido?

Galo Cego - Fiquei muito chateado por ser acusado de algo que não sou. Além disso, tive meu nome e minha foto expostos na mídia regional e redes sociais, como se eu fosse um bandido. Não sou bandido, fui autuado apenas por possuir rádios amadores que, por sinal, já estava desativados há mais de 2 anos. Por eu não possui nota fiscal dos mesmos, não significa que eles sejam roubados ou tenham sido utilizados para o crime. Acho injusto ser autuado por receptação, não recebi nada roubado de ninguém.

 

PF - Você tem algo a dizer para a pessoa que fez a denúncia?

Galo Cego - Quero dizer a ela que antes de fazer uma acusação tão grave, como essa, que ela investigue bem para depois ir à autoridade. Por causa de uma denúncia infundada como essa, muitas pessoas podem ser gravemente prejudicadas. Se a intenção for essa, de prejudicar, só tenho uma coisa a dizer: Deus está vendo.

 

PF – Para finalizar, gostaria dizer mais alguma coisa?

Galo Cego - Para quem pensa mal de mim, pouco me importa, pois tenho minha consciência tranqüila, não devo.

 

Muitas pessoas da comunidade que conhecem o Galo Cego e os outros denunciados ficaram surpresas com o ocorrido. “Conheço os meninos desde crianças e não acredito que estejam envolvidos com algum crime”, afirma um formosense.

“Pelo tamanho da operação, talvez nunca vista no município de Macururé, com mais de 20 policiais e 6 viaturas, parecia que estavam prendendo os mais perigosos bandidos do Brasil. Foi uma operação muito grande pra apreender tão pouca coisa”, disse um morador local.

 

Abaixo, as notas fiscais dos pneus.

Portal Formosa, seu portal de notícias 

 
 
 

COMENTÁRIOS

 
Nome: Antonio Ailton
Assunto: GALO CEGO.
 
HOMEM DO BEM, AJUDA MUITOS CAMINHONEIROS SOFRIDOS NESTE TRECHO DA BR 116.