Euclides da Cunha (BA): Tentativa de assalto à Farmácia Santana, assaltantes se dão mal

27/08/2012 18:56

Na noite desta sexta-feira, 23, por volta das 20h20, dois elementos chegaram à Farmácia Santana, na Av. Cel. Almerindo Rehem e anunciaram o assalto, obrigando o proprietário Carlos Alberto Santana de Souza (Beto), passar para o lado de dentro do balcão, enquanto um dos elementos tentava abaixar as portas, na tentativa de evitar que terceiros vissem a ação criminosa.

De posse de uma pistola do tipo Smith&Wesson por debaixo de uma blusa, Vilmar Melo Santos, vulgo “Branco”, 30 anos, residente no Jardim das Acácias, anunciou o assalto e conduziu a vítima até o balcão, para que a mesma passasse o dinheiro do caixa.

O parceiro C.E.D.S., um menor de 18 anos, residente na localidade de Tinguí, não satisfeito com a voz de assalto dada pelo parceiro, resolveu agredir a vítima com um tapa, fato que gerou reação e Beto resolveu entrar em luta corporal com o meliante que o ameaçava com a pistola.

No embate, o balcão de vidro caiu e quebrou-se, enquanto o comerciante continuava atracado ao ladrão, na tentativa de dominá-lo e expulsá-lo de dentro do estabelecimento, o que realmente aconteceu.

Bem próximo da farmácia, um grupo de mototaxistas ouviu os gritos de “pega o ladrão, pega o ladrão...” dados pela vítima e saíram no encalço dos meliantes que resolveram fugir, diante da reação, não esperada, da vítima.

O menor infrator foi alcançado e detido pelos mototaxistas. Enquanto a ação de prender os assaltantes acontecia numa rua próxima, Beto solicitava ajuda da Polícia Civil e do serviço 190 de rádio patrulha do 5º BPM, que enviou para o local, uma guarnição que efetuou a apreensão do menor.

Na travessa conhecida como Beco de Totonho de Artur, o detetive Rosivaldo Sá localizou o segundo meliante, que portava a pistola usada na tentativa de assalto, porém, não reagiu à voz de prisão dada pelo policial civil que, ao desarma-lo, descobriu que a arma usada no crime tratava-se de uma réplica de uma pistola americana, que tinha até dispositivo para manobrar, movimento que, na arma verdadeira, transfere o projétil do carregador para a câmara de tiro.

A dupla foi conduzida para a DT (Delegacia Territorial), onde foi apresentada ao Bel. Paulo Jason Falcão que adotou medidas cabíveis, inclusive para o menor infrator, baseado no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

No depoimento, Vilmar, que é natural de Quijingue-BA, revelou que já possui passagem pela polícia, por prática de furto contra o patrimônio, em sua cidade natal, onde também cumpriu prisão. Em Euclides da Cunha, já havia sido detido pela polícia para averiguação, porém, nunca havia sido processado.

Também, revelou que no dia da tentativa de assalto, ele e o parceiro haviam bebido whisky, desde as 14h, quando resolveram deixar o carro em que andavam, estacionado em frente ao Grêmio Cultural, próximo da saída para a BR 116, e foram caminhando sem, contudo, ter planejado o assalto, que resolveram fazer após passarem pela farmácia e virem que o proprietário se encontrava sozinho.

No veículo, um Fiat Tempra, cor vinho, placa JLF 4088- licença de Paulo Afonso-BA, após uma revista, a polícia encontrou um pequeno saco plástico e transparente, que continha quantidade razoável de uma substância em pó de cor branca muito parecida com cocaína, que será encaminhada ao DPT para análise toxicológica.

Vilmar negou ser usuário de droga e disse que o carro é de propriedade de sua genitora, que havia sido trocado por um triciclo, negócio feito com um homem conhecido como Nailton que reside próximo da subestação no bairro Nova América.

Após enquadrá-lo no artigo 157 do CP, o ótimo delegado Paulo Jason Falcão determinou o recolhimento do acusado ao xadrez da carceragem da DT, onde ficará custodiado à disposição da Justiça.

No balanço feito pelo proprietário da farmácia, ficou constatado que nada foi levado pela dupla de assaltantes. A vítima sofreu apenas, alguns ferimentos leves causados pela luta corporal. Felizmente.

Uma portaria da SSP/BA proíbe a exibição em fotografia dos presos em delegacia. Por isso, não nos foi possível mostrar para a sociedade, o rosto do acusado maior de idade, preso em flagrante, ao menos que o mesmo autorize.

Já o menor, protegido pelo ECA, não pode ser mostrado nem de costas. Na manhã desta segunda-feira, 27, o menor foi ouvido pelo promotor de justiça Marcelo Cerqueira.

 

Fonte: Euclidesdacunha.com

Deixe seu comentário

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário