Garota de 12 anos tem coração arrancado por colegas em Minas Gerais

16/06/2012 08:26

 

Segundo o delegado Enrique Solla, responsável pelo caso, o crime foi cometido por duas garotas de 13

A conclusão do inquérito sobre a morte de Fabíola Santos Corrêa, 12 anos, assassinada por duas amigas em um matagal e encontrada sem o coração na última quinta-feira (07) em São Joaquim de Bicas, na região metropolitana, apontou o possível envolvimento de traficantes no crime.

Segundo o delegado Enrique Solla, responsável pelo caso, o crime foi cometido por duas garotas de 13 anos que, assim como Fabíola, namoravam traficantes de uma gangue da região. Ainda, segundo Solla, as adolescentes não demonstraram arrependimento durante o depoimento, chegando a rir em alguns momentos.

Uma das meninas confessou o crime para a polícia, e disse que a intenção delas era “dar um susto” em Fabíola para que, caso ela fosse pega por membros da gangue rival, não contasse detalhes do envolvimento das garotas com o tráfico de drogas.

Requintes de crueldade

Fabíola foi levada para o matagal, e jogada no chão. Uma das adolescentes contou que encostou uma faca no pescoço da vítima, que tentou se defender. Na briga, a garota acabou sofrendo um corte no pescoço e caiu. Com a situação fora de controle, as outras adolescentes resolveram matá-la ali mesmo. Fabíola ainda foi agredida com um golpe de barra de ferro na cabeça.

Segundo o delegado, a adolescente contou também que, com Fabíola já caída, as duas abriram o peito da garota e arrancaram o coração dela, que ainda batia. A intenção seria levar o órgão como uma espécie de prova para contar às mães que as meninas estavam sendo ameaçadas por traficantes.

As duas adolescentes foram levadas para o Centro de Internação Provisória São Jerônimo, no bairro Horto, região Leste da capital.

Fonte: R7

 

Deixe seu comentário

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário