Médico explica caso do bebê morto no HMPA ao site ChicoSabeTudo

19/03/2012 12:41
Veja o que o médico diz:
 

Chico, venho por meio desta, prestar esclarecimentos sobre este caso.

“A paciente foi trazida pelo SAMU ao hospital com queixa de dor abdominal há aproximadamente 6 horas de forte intensidade, confirmei que a paciente estava grávida, ao ser questionada sobre a gravidez a paciente disse que tomou medicamento para “regular” a menstruação, solicitou a ir ao banheiro e la deu a luz a uma criança morta.

Imagem ilustrativa

Eu fiz a escuta cardíaca da criança, um concepto de menos de meio quilo inviável a vida e que mesmo assim foi tentada a reanimação sem resposta, mas mesmo assim encaminhei o concepto à maternidade. Essa história mostra dois fatos tristes:

Primeiro -Realmente é uma história trágica, como uma pessoa toma uma medicação sem prescrição médica que acaba na morte de um inocente.

Segundo – Como uma história falsa pode denegrir a imagem de uma unidade de saúde e pode acabar com a carreira de um profissional.

Chico, Sou pai de uma menina de quatro amos de idade e amo muito a minha família e em respeito a ela venho por meio desta me defender e contar a história de forma verídica.

Estou realmente triste com a situação de ser médico aqui nesta cidade que tanto amo pois nós acabamos sendo alvo de perseguições com o intuito de atingir o prefeito ou o secretário de saúde”.

 

Dr: Fabrício Macário Xavier do Carmo/ fabricio_macario@yahoo.com.br

                                                                                                                                                                                                                            

QUER ENTENDER O QUE ACONTECEU?

VEJA A NOTÍCIA ABAIXO QUE SAIU NOS PRINCIPAIS SITES DA REGIÃO

Bebe morre ao cair no vaso sanitário do Hospital em Paulo Afonso

Na noite do dia 17,  ocorreu um fato trágico no Hospital Municipal de Paulo Afonso na Bahia. Uma senhora que estava sentindo fortes dores e entrará em trabalho de parto, foi ate a unidade médica para lá ser atendida e ter a criança.

Chegando lá, o médico que a atendeu disse que não era à hora de realizar o parto.

A mulher sentiu necessidade de ir ao banheiro da unidade medica. Lá a bolsa estourou e a criança caiu dentro do vaso sanitário. Uma enfermeira desesperada chamou pelo médico que tinha atendido a paciente e ao constatar o ocorrido ele teria diagnosticado, segundo as informações, que não havia mais vida naquele pequeno corpo e mandou que o colocasse dentro de uma sacola plástica.

Nos minutos seguintes, a enfermeira ao pegar o Bebe, percebeu que seu coração ainda batia. Imediatamente, a mãe a o Bebe foram levados ao Hospital Nair Alves de Souza. Infelizmente para todos os envolvidos, a criança não resistiu e veio a falecer.

Não se pode fazer um pré-julgamento da culpa do médico, do hospital ou dos representantes políticos envolvidos nisso, mas é bom que seja relembrado que com o fechamento da Maternidade municipal, vários casos que fogem a lógica do atendimento criterioso, estão acontecendo.

É chegada à hora do Ministério Público local tomar uma posição quanto aos fatos que são denunciados na saúde municipal de Paulo Afonso, para que não recaia sobre ele a duvida de que, pouco ou nada, nessa administração atual é investigado.

Deixe seu comentário

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário