Ministro paquistanês dará 100 mil dólares a quem matar autor de vídeo anti-Islã

22/09/2012 17:09

Em entrevista coletiva neste sábado, na cidade de Peshawar, o ministro de Ferrovias do Paquistão, Ghulam Ahmed Bilour, anunciou que recompensará com US$ 100 mil quem assassinar o autor do vídeo que ridiculariza Maomé.

De acordo com os jornais Dawn e Express Tribune, Ahmed Bilour afirmou que está consciente de que estimular um assassinato é crime, mas disse estar pronto para cometer esse delito.

"Se existir alguma causa contra mim em uma corte internacional ou nacional, pedirei ao povo que me entregue", declarou Bilour, acrescentando que sua atitude seria a única forma de inibir as blasfêmias.

Indo mais longe ainda, o ministro pediu o apoio dos talibãs e da rede terrorista Al Qaeda. Ele ainda solicitou aos ricos que "ponham à disposição da causa todo seu dinheiro, para que assim o assassino possa ser banhado em ouro e dólares".

 

Filme anti-islamismo desencadeia protestos contra EUA

Na última terça-feira, 11 de setembro, protestos tiveram início em frente às embaixadas americanas do Cairo, no Egito, e de Benghazi, na Líbia, motivados por um vídeo que satirizava o islamismo e Maomé, o profeta muçulmano. Manifestações se disseminaram contra embaixadas americanas e o embaixador Chris Stevens acabou sendo morto numa explosão.

 

Deixe seu comentário

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário